quarta-feira, 4 de março de 2009

Normal


Normal, ninguém gosta de se considerar normal. Aliás, creio que esse termo só existe devido à necessidade sociológica de agrupar as pessoas em grupinhos rídiculos, ou para efeitos estatísticos. Como as sondagens de televisão, de mercado ou políticas. Como por exemplo os solteiros(as), divorciados(as), jovens, meia idade, reformados, obesos, donas de casa e outros mais. No fundo todos temos um pouco de excêntricos ou de diferentes que acarinhamos no misto da confusão de sermos um pouco socialvelmente aceitáveis.

normal

adjectivo uniforme

1.

conforme à norma ou regra

2.

que serve de modelo; exemplar

3.

regular; habitual; ordinário

4.

antiquado que prepara ou se destina a preparar professores do ensino primário

5.

que não sofre de perturbações a nível físico e/ou psicológico

6.

QUÍMICA (solução) que contém um equivalente-grama do soluto por litro de solução

7.

GEOMETRIA que é perpendicular, no ponto de tangência, à recta tangente a uma curva, ou ao plano tangente a uma superfície

nome feminino

GEOMETRIA perpendicular, no ponto de tangência, à recta tangente a uma curva, ou ao plano tangente a uma superfície

nome masculino

aquilo que é habitual

(Do lat. normále-, «id.»)




1.A maioria das pessoas gosta um pouco de fugir às regras.
2.E de maneira nenhuma quero ser exemplar ou servir de modelo. É mais naquela de faz o que eu digo não faças o que eu faço.
3.Quanto ao ser regular, habitual ou ordinário. Penso que nenhuma delas, já fui um habitué!!! Coisa que muda com a alteração das rotinas mundanas, que acontecem por si mesmas. Essas mesmas alteram-se de formas muito anormais. Os ciclos, a terra redonda, a gravitação nunca se faz em círculos perfeitos(normais), mas sim em elipsóides de raios irregulares.
4.Acho que ninguém gosta de ser rotulado de antiquado.
5.A dado ponto da vida todos temos perturbações físicas e psicológicas, talvez até todos os dias nem que seja por um segundo. Como disse uma amiga muito querida, já faz tantos anos que nem ela própria se deve lembrar...Todos pensamos em f... o cão num milionésimo de segundo.
6.Não interessa, porque se subdivirmos ou escrutinarmos até à milésima, não haverá concerteza um litro igual ao outro.
7.Não sei que diga, mas na minha opinião, normal deveria der mais assim para o "quadrado".

O que me estarreceu nos últímos tempos foi uma inesperada busca pelo "normal", que em mais do que uma ocasão me deixou mal. Não consegui atingir o normal. Por exemplo as águas. Antes era a pergunta se era fresca, natural com gás ou sem gás. Agora é uma parafernália de águas frutadas, que naqueles dias mais difíceis dá vontade de responder secamente: Quero ÁGUA!!!!
Uma coisa que me tem deixado completamente louco é a minha busca por champôs para cabelos normais. Sim, acho que o meu cabelo se aproxima mais do normal. Aliás, o que será afinal de contas um cabelo normal? Será normal da minha parte pensar que tenho cabelos normais? A ver pela maioria das pessoas, que se conhecendo um pouco mais, nada têm de normal. Será possível que a cobrir a cabeça, onde alojamos um cérebro intrinsecamente complexo e imprevísivel, possamos ter uma cobertura normal?
Na verdade, em vários pontos do país, a minha procura em estabelecimentos comerciais de renome por champôs normais revelou-se infrutífera. E agora, cúmulo dos cúmulos, nem aqui na Argélia os consigo encontrar. Lembro-me especialmente de uma vez em Lisboa, no desespero de uma longa busca numa prateleira
gigante de um hipermercado, obcecado pela palavra normal, comprei finalmente um produto para cabelos normais!!! Entrei no carro, liguei o mp3 e conduzi feliz a cantarolar com um sorriso idiota pela minha fantástica conquista. O único problema é que quando fui tomar banho compreendi que afinal... tinha comprado amaciador!!! Antes de vir para cá tive que me contentar com um champô para cabelos castanhos a cabelos castanhos escuros!! O meu cabelo é preto!! Será que podiam fazer um champô para cabelos pretos!?!?

Agora digam-me, acham isto Normal!?!?!?!?

12 comentários:

Luis Francisco G Padrela disse...

olha Manolas, eu acho é que tu andas ANORMALMENTE com falta de trabalho pá!!!!

Bom, a sério, eu, na minha opinião modesta, que vale o que vale, prefiro e acho mais saudável (pelo menos actualmente), eu próprio estabelecer os meus "own normalization standards" (gostaste do palavreado ingleis???).

Luis Francisco G Padrela disse...

AHAHHAHAHAHHAHAH!!!! Essa do amaciador tb já me aconteceu!!! AHAHAHHAHAHHAHA!!! E se achas que tens problemas, imagina um ruivo, em pleno coração da África Negra, arranjar um champo pra cabelos loiros.... AHHAHAHHAHAHHAHAHAHAHH!!!!!

Miguel disse...

É um belo texto

Mas acho qu normal é coisa que nenhum de nós pode ser

Miguel

Jakk disse...

Oh Mawdiê! Isto num é os Angola! Aqui trabalha-se, carga horária de momento é de 13 ,14 horas diárias!
E em relação ao champô, agora tem q ser para cabelos pretos com madeixas brancas!!ehehehe

Mike, dear Mike! e não é isso mesmo que o post diz!

Andreia disse...

huummm nem sei q diga...penso em muita coisa anormal mas nunca me deu para f... o cão....n sei pq...será q sou normal???? e nunca comprei um shampoo para cabelos normais...nunca o considerei "normal" nuuunca, alias os shampoos para cabelos normais devem ser os q menos vendem...devem ser um nicho de mercado insignificante, pq toda a gente acha que tem qlqr problema no cabelo, agora com este post é q percebi que não é no cabelo e sim no cerebro!!!!ahahahahahaha

Anónimo disse...

Conselho de amiga: Não entres pelos meandros da "normalidade". Só te vai ajudar a dar um nó na cabeça. Eu decidi que normal é o que me fizer sentir melhor. E mesmo que o normal seja fácil de ter (como o champô para cabelos pretos) vai pelos "almost normal" ;-)

Entretanto boltei! Depois de uma longa ausência na blogosfera amiga...eheheheh....ando aqui no meu próprio campo de batalha. A ver se retomo o fio à meada....

Beijinhos! JB

catizzz disse...

Muito irritante esse conceito de "normal". E persegue-nos a todos!
Trabalhando na área social, é assustador verificar que essa coisa da "normalidade" persegue sobretudo aqueles a quem vida não corre bem e que são forçados a recorrer ao "apoio social". Se não forem "normais" arriscam-se a ficar sem os filhos (que estarão muito melhor numa qualquer instituição do que com os pais que não são normais!)e o tal apoio só acontece se provarem, a todo o momento, que se comportam "como pessoas normais". Felizmente, já existe muita gente a trabalhar nesta área que não pensa assim, que não age assim. Porque foram descobrindo, que, olhando de perto ninguém é normal. Que o normal não existe, é apenas um papel que encarnamos para que não nos chateiem muito, para que possamos ser anormais sem perder o direito a existir nesta sociedade anormalmente normal.

La Payita disse...

Grande post este! Diverti-me e fiquei a pensar...

Enquanto "trabalhadora do social" subscrevo totalmente o que diz a Catizzz! Não acrescento uma vírgula...

Enquanto detentora de um canudo na área dos psis... Tenho a dizer que, ao contrário do que muita gente pensa sobre a minha área de formação, tive o privilégio de ter estudado com professores que sempre nos obrigaram a questionar o que é isto do normal e o que é aquilo do patológico. Cinco anos a aprender que depende sempre do referencial, do que cada um acredita, das modas "teóricas" de cada momento.

Por isso, quero acreditar que estou perfeitamente desperta para evitar (nem sempre consigo, é um facto...) a ideia preconcebida, o julgamento de valor.. O normal existe? Não pode! Não quero que exista! O Mundo perdia a piada...

E com este post apercebi-me da anormal que sou... Eu compro sempre champoo para cabelos NORMAIS!!!! Por uma razão muito simples. Porque acredito que são todos iguais e que aquela panóplia nas prateleiras tem como único objectivo manterem-nos nos supermecados a consumir, fazendo-nos sentir ilusoriamente especiais... E nós somos todos especiais, para lá do tipo de cabelo que temos! E porque eu tenho mais que fazer do que perder mais que 2 minutos a comprar o raio do champoo e do amaciador...

A minha vida não é isto!!!!

Besitos, LP.

Anónimo disse...

Acho este teu blog e texto um bocado... Como hei-de dizer? Um bocado normal de mais?
hehehehe
Hug!!! força aí!
F@nek@

Yola disse...

hehehehehe
É como procurar para cabelos encaracolados e só encontro para os que estão secos, quebradiços e sem brilho.... Não haverá para cabelos pura, simples e normalmente encaracolados???? hehehehehe
Tá cool cous..

Inês disse...

Adoro a forma como misturas o banal quotidiano com filosofia pura.
Davas um grande filósofo do século XXI
Miss you
bj

Uma rapariga simples disse...

Eu sou normal mas não sou ordinária, tá bem????

Champô? Isso é coisa que a minha mãe também não acerta, de momento andamos todos a lavar o cabelinho com champô para cabelos aos caracóis. LOL