domingo, 18 de maio de 2008

Quem é o camelo?

Engraçado, há momentos em que penso se não serei eu! Por vir para este sítio inóspito, duro, sujo, impessoal...
Decisão minha, consciente. Não me arrependo, afinal de contas, é uma aposta minha, tanto de trabalho como pessoal. Não passou ainda muito tempo... Aqui sente-se realmente o tempo como aquele anúncio da Swatch. Um segundo que dura uma eternidade, uma eternidade que dura um segundo! Lembra-me uma frase do famoso treinador Manuel José (lembrei-me dele hoje na conversa com dois jovens egípcios, muito simpáticos, que me falaram nele. Caso não saibam foi campeão dos clubes africanos pelo clube egípcio Al-Ahly nos últimos dois anos), na altura treinador do Boavista, quando se saiu com uma daquelas bem filosóficas de algibeira, "O importante é o domínio do binómio espaço tempo".
A perda da sensação do tempo, por estar longe, por o fim de semana aqui ser quinta e sexta, por trabalhar seis dias por semana, por ainda não dominar bem os caminhos, as ruas, as cidades, os corta-matos, o próprio site da obra (120 km), sobre a minha alçada e do meu colega, grande colega Trabulo! Tudo isso acaba por me ajudar a ultrapassar tudo com uma extrema facilidade... Isso e o riso, a capacidade de rir e de fazer rir... em português, francês ou inglês, ou mesmo em arranhanços de árabe!
Esta terra dá muito que falar, cheia de contra-sensos, mas adio essa conversa para outra altura, depois de absorver mais um pouco de tudo o que me vai rodeando. Desde os acontecimentos, aos cheiros, aos sabores, às pessoas... às visões.
Estou bem, estou a gostar do que faço. É tudo novo...
faz-me pensar como será depois, quando conhecer as estradas, caminhos, gentes. Quando me situar pessoalmente, fisicamente, mentalmente, geograficamente e profissionalmente. Conto com os outros elementos, os japoneses e a sua maneira de ser, o perigo, que sejamos realistas mora mesmo aqui ao lado. O facto de para algumas pessoas não ser aqui bem-vindo...de todo!
Haja inconstantes e variáveis. Haja razões para me manter vivo, esperto, alerta! Haja desafios, para que com este dromedário, haja mais vontade de continuar a percorrer estas terras!
Salam malikum (não sei se é assim que se escreve, mas significa que Alá esteja convosco)

12 comentários:

Anónimo disse...

O de verde? :D


Quando conheceres os caminhos e tudo e tudo, vais começar a viver como se de um nativo te tratasses e isso será indiscutivelmente melhor! ;)

SecretGardenGirl :P

Anónimo disse...

Aleikum Salam....Antes demais os meus parabéns porque nem toda a gente teria aceite esse convite. É demasiada aventura para um momento só - sim, não nos deixemos iludir, o país é realmente perigoso por isso tem cuidado!!!

Mas já que passaste essa primeira fase, agora é aproveitar. Agora é começar a descobrir caminhos, sítios, caras que se vão tornando conhecidas e mais outras tantas que estão por descobrir.

E isto sem pensar muito no "como será depois de conhecer isto tudo". Depois terás outras coisas para descobrir, se não forem caminhos são outras coisas... O importante é deixares-te ir, mas por favor, vai espreitando por cima do ombro que nunca se sabe...Bjs. JB

Lucy disse...

Aí aí... bateu uma saudade! Grande coragem. Já viste as voltas que a vida dá?!Aproveita a experiência e vai dando notícias, porque queremos saber das tuas aventuras.. Para já acho que estás bem! Qualquer coisa, está tudo à distância de um click
;-)


Have fun!!
Lucy

Sonia disse...

A inspiração está contigo!!
:)
Gostei de te ler...
Imaginei-te a escrever o texto...puz-me a imaginar-te no teu novo dia a dia, a conhecer os novos caminhos, cores, sabores, aromas, sons...ajudou-me a criar um quadro do q será...mesmo sem conhecer a tua nova realidade...!
Que Alá, Deus, Buda, Jesus e todos os anjos, guias, estrelas estejam sempre contigo...
Tu sabes q n tens nada a temer...
;)
Parabéns por tudo o q és!
Beijinhos daqui para aí...
S.

sandraf disse...

Haja sempre a sensação de um beijo meu... sempre.

Anónimo disse...

És sem sombra de dúvida uma pessoa de coragem, não só pelos riscos diários que corres mas também pelo desafio que aceitaste.
Não deve estar a ser fácil, mas acredito que estejas a tirar o máximo partido de cada momento.
Que tudo te corra bem.

Um beijo
Cmcoeist
Carla

Anónimo disse...

Grande manolas!! Tu é que fazes bem. Aproveita essa aventura e disfruta de todos os bocadinhos. Porque quando chegares cá, vais ver que está tudo igual e que não perdeste nada, antes pelo contrário. Ganhaste experiência de vida e outra visão sobre as coisas!!
ASSALAMU ALAIKOM

Zu

Devir disse...

GIGANTIC!!!

junglejo disse...

Seguir em frente é ir longe.
Ir longe é voltar a casa.

"For nomads, home is not an address,
home is what they carry with them.”
John Berger, Hold everything dear. p. 129

Anónimo disse...

Pois é, com tanto potencial, não sei onde vais tu parar..., creio que a tua estrada nunca irá acabar.
Mas eu, sempre irei acompanhar!!

;)

.A.....

~Ariana Margarida~ disse...

Muito boa essa tua descriçao... gostei imenso...

imagino que o tempo aí passe mais lentamente, ate pela fotografia percebo isso... por um lado é bom... mas por outro... sabes bem que somos nós que fazemos o nosso tempo e o nosso espaço, porque ele simplesmente nao existe...

essa tua experiencia de certo que te irá enriquecer, aproveita-a e bebe cada segundo porque o "caos" ensina-nos muito!

agora vou embora, amanha continuo a ler o teu blog que esta fantastico.

(ainda me lembro o que te massacrei para o compores:) )

beijo grande***

e viva portugal que os turcos ja foram :D

Anónimo disse...

Habibi,i whisper to you...:



I carry your heart with me


i carry your heart with me (i carry it in

my heart) i am never without it (anywhere

i go you go, my dear; and whatever is done

by only me is your doing, my darling)

i fear

no fate (for you are my fate, my sweet) i want

no world (for beautiful you are my world, my true)

and it's you are whatever a moon has always meant

and whatever a sun will always sing is you

here is the deepest secret nobody knows

(here is the root of the root and the bud of the bud

and the sky of the sky of a tree called life; which grows

higher than soul can hope or mind can hide)

and this is the wonder that's keeping the stars apart

i carry your heart (i carry it in my heart)


By Edward Estlin Cummings,(1894-1962) 1958